quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Sem título, sem imagem e sem padrão

Fica difícil quando as coisas já não são mais como foram um dia, quando tudo o que você conhecia, tornou-se desconhecido. Você acha que sabe o bastante, mas percebe que já não tem mais idéias e que tudo do qual você tinha tanta certeza, tornou-se repetitivo...
Hoje eu não vou escrever sobre memes de blogs e/ou blogueiros, nem sobre coisas do dia a dia, ou baboseiras de adolescentes em crise ou de "quem" está entrando na vida adulta. Não vou postar a letra de uma música, nem nada do que eu sempre venho escrever aqui. Hoje vai ser diferente. 
Estou aqui para raciocinar, para fazer uma profunda reflexão e tentar entender tudo o que está (de fato) acontecendo comigo e com a TDN. Daqui há seis meses, meu blog completará 3 anos e eu, 20 anos. Pois é, o tempo passa muito rápido! E o que eu conquistei durante todos esses anos? E o meu blog, onde eu consegui chegar com ele? Tornei esse "mais um blog na internet" o meu mundinho fechado, onde eu faço/digo/penso o que eu quero, da maneira que eu esperava que conseguiria? Cheguei onde eu queria, ou melhor, conquistei o que eu queria?
Tempo de "vida vivida" eu já tenho, todavia, que dirá a qualificação? Em uma hora como essa, ser mais velha, ou ter um pouco mais de experiência não ajuda em absolutamente NADA. Ou você é, ou não é. E eu sou? Veja bem, é uma pergunta sem resposta.
Durante uma entrevista de emprego, a gerente me perguntou com qual animal eu me identificava (metaforicamente falando) e por quê. A minha repentina vontade foi de responder "Um rato, porque sou medrosa", mas sabia que se respondesse isso jamais conseguiria a vaga, então respirei fundo, pensei bem (isso tudo durou cerca de trinta segundos) e disse "Um pássaro, porque os pássaros são livres para ir e fazer o que quiserem e eu também sou livre". Na verdade, não foram bem essas palavras que eu usei, entretanto, deu para entender, né?  Mas tem mais uma coisa, eu menti. Eu não sou livre, eu tenho o DESEJO de ser - e isso é bem diferente. E acabei descobrindo que... é isso! Era isso o que eu buscava durante todo esse tempo! É esse o propósito da Terra de Ninguém: ser livre. Ok, isso eu e todos vocês já sabemos, mas agora é diferente, porque agora eu tenho a certeza que essa liberdade realmente existe.
Acho que eu já consegui, conquistei esse pouco de liberdade que eu tanto busquei, afinal, agora (e desde que criei este blog) escrevo aquilo que eu quero.
No final das contas, consegui a vaga de emprego e descobri outra coisa: mesmo me sentindo como um rato medroso, sei que sou como um pássaro: livre para ir onde eu quero.
E para onde eu vou, não há nada nem ninguém que me impeça, pois eu vou para um lugar que não é necessário passagem, muito menos permissão. Eu vou para um lugar que eu mesma criei, vou para a minha Terra de Ninguém.

E você, com qual animal se identifica metaforicamente? 
Aquele beijo e até a próxima :)

2 comentários:

Day Fernandes disse...

Lindo texto!!!! Adorei o seu blog flooor, já to seguindo. Passa lá no meu pra conhecer também. Bjokas.
Day

http://impaciencianet.blogspot.com/

Mayara Caparroz disse...

Obrigada pela visita, volte sempre que quiser. Já estou seguindo o seu blog!

Beijos :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...