quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Das vezes em que me precipitei...

É tão triste e humilhante para sai próprio assumir um erro ou uma mentira, principalmente quando fazemos algo que nos perturbará para sempre. Calma, não fiz nada de errado! Mas fiz algo muito sério: me precipitei. Este, sim, é um erro triste e angustiante, você fica pensado: "Meus Deus, o que foi que eu fiz?" e a resposta para isso tem uma palavra, cinco sílabas e doze letras: precipitação.
Infelizmente, você só percebe que está sendo precipitado no instante em que você perde o controle de tudo, quando você vê que tomou a decisão rápida demais e que o resultado não é tão clichê; é quando você fica na merda e não sabe como sair. Entrar é fácil, difícil é sair; isso sim, é bem clichê.
Quando tomamos uma decisão na vida, seja relacionada ao ENEM, a família, a faculdade ou, até mesmo, ao trabalho (como no meu caso), estamos sujeitos a precipitação e, consequentemente, ao arrependimento. Sei que errei, quis deixar meu estágio para arrumar um emprego melhor, não funcionou. Pressão demais, culpa do tempo. Pelo menos consegui me redimir e voltar ao meu querido e antigo emprego, até que eu gosto dessa coisa de ser a "tia" da sala de informática. Senti saudades dessa sala, do "meu" computador, dos alunos e até da diretora e dos coordenadores, rs. Brincadeiras à parte. Enfim, é verdade, senti falta mesmo. 
Corri atrás de novo, antes que o tempo me apunhalasse novamente e cá estou, na minha sala de informática predileta, fazendo o meu trabalho predileto. Tá, exagero. O fato é que a precipitação arruinou uma parte importante do meu emocional: a minha auto-confiança (droga, se escreve autoconfiança, agora, culpa da nova ortografia).
Depois de resolvermos tudo e prometer a nós mesmos não cometer os mesmos erros, passamos a ficar inseguros. Mas ainda resta esperança, como diz a minha mãe "A esperança é a última que morre". Nossa, já pensou se a esperança morresse assassinada pela precipitação? Que pergunta idiota, isso nunca aconteceria - pelo menos eu acho...
De repente, você enxerga uma luz na sua frente e percebe que ninguém acendeu a luz; você percebe que vem de dentro de você. Essa luz sai e ilumina o seu caminho, mostra que você sabe o que fazer e que não cometerá o mesmo erro novamente. Afinal, é errando que se aprende - é o que sempre dizem. É quando você se arrepende e percebe que a vida é muito mais do que tudo isso.
É quando você aprende que autoconfiança se escreve assim e que ela é muito importante.

Beijos da blogueira que não quer mais ser precipitada. ;)

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...