quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Querido diário...

"... Balançava a cabeça violentamente, chorando, mais histérica a cada segundo.
- Não! Não! Eu sou a próxima! Eu sou a próxima! - De repente, seus olhos se abriram e ela saiu sozinha do transe, sufocada e arfando. Depois sua cabeça girou." (Diários do Vampiro - Reunião Sombria.)


Eu sei que escrever um diário é coisa para menininhas e talvez eu seja uma menininha, mas eu suspeito que não. Uma menininha crescida, talvez. Por isso, ao invés de escrever em uma agenda pink, resolvi apenas desabafar meus pensamentos (esquisitos) aqui, no único lugar em que posso ser eu mesma: na minha Terra de Ninguém. Eu não sei porque eu estou escrevendo isso, só sei que eu quero escrever. Essa é uma das poucas vezes em que me sinto livre: quando estou escrevendo. Também sei que, embora eu tenha feito (quase) de tudo para mudar, - e algumas dessas mudanças já são visíveis - eu ainda sou a mesma. Ainda sou aquela garota mimada que passa o dia inteiro lendo; que ama dançar; que ainda ouve Britney Spears; que sonha em ser jornalista; que deseja ser livre. Livre para dizer, pensar, falar, agir e mostrar ao mundo quem realmente é.
São raras as vezes em que podemos ser (e nos sentirmos) livres - é, eu falo muito sobre liberdade, pois é um desejo íntimo e, infelizmente, tão clichê a ponto de não poder se concretizar - eu, por exemplo, só me sinto livre quando estou escrevendo ou dançando. Eu sei que é nessas horas em que posso ser eu mesma.
Não adianta eu sonhar com um mundo clichê, quando o clichê é tão clichê, tão visível e inaceitável. A sociedade me coloca em uma posição ameaçadora, onde eu sei que não adianta chorar nem gritar, eu só tenho que correr pra longe. Fugir de tudo. Mas esta não é a solução, é uma ilusão. É melhor ficar e encarar tudo de uma vez.   
Porque é fácil passar no vestibular de uma faculdade particular, difícil é pagar o curso. Estou diante do livro "Diários do Vampiro - Reunião Sombria", que eu não acabei de ler; em pensar que tenho mais cinco livros me esperando, mas falta-me tempo. Ou, para ser mais sincera (comigo mesma), falta-me concentração. Preciso comprar um celular novo, porque o meu está quebrado; preciso terminar de ler os livros que estão me esperando no guarda-roupa; preciso de tempo...e de tantas outras coisas.
Preciso de mim mesma. Preciso de algo novo em minha vida.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...