quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Tribos e suas modinhas







Quando eu fiquei sabendo que o pedágio de formatura da minha escola, na próxima sexta, seria Tribos, gelei. Na hora veio em minha mente: rockeira! Mas então me lembrei que eu não sou rockeira. Que tal patricinha? Mas digamos que eu não tenha um guarde-roupa repleto de roupas cor-de-rosa. Foi então que eu percebi o motivo de tanto estresse: eu não pertenço à uma tribo - e não me importo de não pertencer. 
Que coisa mais sem importância isso de ficar se "juntando" com quem é igual a você. Agora, só por que você anda de skate, só vai andar com skatista? Só por que você ouve Metallica, só vai andar com quem se veste de preto e curte rock and roll? Ou só por que você é apaixonada pelo Justin Bieber, agora não pode andar com a galera que prefere Luan Santana? Eu não tenho a certeza de que cada pessoa tenha que pertencer à uma tribo e se identificar por espécies, como as plantas e os animais: roqueiros, góticos, emos, regueiros, skatistas, nerds, CDF's, geeks, esportistas, bailarinas, piriguetes, patricinhas, baladeiros etc. Nós somos seres-humanos! Somos iguais, apesar das diferenças e características de cada um.
Não podemos simplesmente julgar o fulano de tal só porque ele pertence ao grupo dos nerds; ou proibir o deficiente mental de se sentar ao seu lado na escola. Ninguém é diferente de ninguém, portanto, não devemos julgar uma pessoa só por causa do seu "grupinho", muitas vezes, essa pessoa nem queria fazer parte desse grupo, ou não dá a mínima para ele; vai ver ela só quer estar no meio de gente como ela, da mesma "raça" ou "espécie". Bom, eu não vou repetir aqui o que eu já disse no post sobre as Diferenças (se você ainda não o leu, clique aqui). 
O que eu estou tentando dizer, é que se você não tem uma tribo definida (como eu), não precisa se preocupar, isso mostra que você não é influenciavel e tem opinião própria. Que tal fazer como eu: seja você mesmo(a)! ;) 

E você, qual a sua tribo?
Beijos, beijos!

P.S.: Só para constar, vou vestida de roqueira mesmo.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ser feliz ou ter razão?







"Oito da noite, numa avenida movimentada, o casal já está atrasado para o jantar na casa de alguns amigos. O endereço é novo, assim como o caminho que ela conferiu no mapa antes de sair e ele dirige o carro. Ela o orienta e pede para que vire na próxima rua à esquerda, ele tem certeza que é à direita e acabam discutindo.

Percebendo que, além de atrasados, poderão ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida, ele vira à direita e percebe que estava errado. Ainda com dificuldade, ele admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há problema algum em chegar alguns minutos mais tarde. Mas ele ainda quer saber:
- Se você tinha tanta certeza de que eu estava tomando o caminho errado, deveria ter insistido um pouco mais.
E ela responde:
 - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma briga. Se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite."

Essa pequena história foi contada por uma empresária durante uma palestra, ela usou a cena para ilustrar quanta energia nós gastamos apenas para demonstrar que temos razão, independentemente de tê-la ou não. Desde que ouvi essa história, tenho me perguntado com mais frequência:


Quero ser feliz ou ter razão?
Beijos, beijos!

domingo, 15 de agosto de 2010

Poema



Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro,
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo.
Porque o passado me traz uma lembrança,
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro,
Desculpa pra um abraço ou um consolo.
Hoje eu acordei com medo, mas não chorei
Nem reclamei abrigo.
Do escuro eu via um infinito sem presente,
Passado ou futuro.
Senti um abraço forte, já não era medo,
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim...
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa,
Morna e ingênua.
Que vai ficando no caminho,
Que é escuro e frio, mas também bonito.
Porque é iluminado,
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás...


(Ney Matogrosso)

sábado, 7 de agosto de 2010

Dia dos pais

Eu nem sei o que escrever...
Jamais pensei que eu fosse escrever algo sobre você algum dia, aliás, eu nem sei se você lerá isso algum dia; todavia, expressarei os meus sentimentos através destas palavras para que, assim, você as entenda.
Não é só porque eu escrevi um texto de dia das mães, que eu "precisei" escrever um sobre o dia dos pais. Estou escrevendo porque quero e sinto que isso é algo que tenho que fazer.
Te conheço há 18 anos, durante toda a minha vida, mas não sei se você me conhece tão bem quanto pensa. Sei que você ficou muito frustado por eu ter desistido de tornar-me advogada (como você) e ter escolhido ser jornalista, mas isso é o que eu quero para mim; é o que eu gosto. Sei também que todas as nossas brigas, pelo menos a maioria, são para o meu próprio bem, você se preocupa muito comigo e eu adoro essa sensação de preocupação, que vem atrelada com amor e carinho. Não importa o que as pessoas pensem ou falem de você, você é especial para mim.
Te desejo toda a felicidade deste mundo neste Dia dos Pais e que você continue sendo este pai preocupado e atencioso que você é. Só não exagere muito, ok? rs.
Eu realmente espero que você leia isso, apesar de saber que você nunca acessou o meu blog.
Vou ficando por aqui, preciso arrumar o meu quarto, logo você chega e eu não quero levar bronca, hehe.
Bem, é isso... Feliz Dia dos Pais!


E a todos que já exercem esta maravilhosa função, Feliz Dia dos Pais!


Beijos, beijos, meus queridos leitores.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...