terça-feira, 2 de março de 2010

Doce sacrifício

É difícil explicar o que estou sentindo quando nem eu mesma sei a resposta para isto. Estranho? Sim. Difícil? Mais do que você pode imaginar.
Chega uma hora na vida, em que é preciso um “beliscão” para perceber que você já cresceu; é a hora em que você tem certeza absoluta de que não é mais criança porém, ainda não é adulto. Queria dar um grito e dizer “Basta!”, mas de que adiantaria? O tempo não vai parar e me dar uma resposta do que eu tenho que fazer.
Eu ainda não sei quem eu sou ou quem eu serei, a única certeza é que serei jornalista e estarei com o meu amor. O resto, eu não sei. As dúvidas fazem parte do crescimento e isso é assustador, mesmo que às vezes pareça simples - o que, com certeza, não é.
Muitas vezes, ouço pessoas dizendo que estou na melhor fase da minha vida, estou? hehe. Parece que sim. Então porque eu sinto que o que está por vir (o futuro) pode ser melhor do o que eu tenho agora (o presente) ? Isso é tão estranho e fácil de entender. Afinal, isso é uma característica do ser humano: nunca se contenta com o que tem. É sempre assim, nos preocupamos tanto em encontrar a felicidade que nem percebemos que ela pode estar ao nosso lado o tempo todo. Queremos sempre aquilo que não temos e não nos contentamos com o que temos.
Algumas vezes, ser jovem incomoda, daí o “quero-crescer-logo” e em seguida vem o medo, pois as responsabilidades aumentarão. Mas a hora é essa, porque já está acontecendo. O medo e a indecisão são um preço justo que se paga por este doce sacrifício. O jeito é aproveitar sem medo e preparar o futuro - e estar preparada para ele.
Mas, como eu disse muitas vezes, o que realmente importa é o presente; o momento que estamos vivendo agora. O passado não volta e não sabemos quando é o futuro. Aliás, o futuro é quando nós conseguimos concretizar os nossos sonhos e objetivos, quando conseguimos dizer "Pronto, consegui!". Aí sim, teremos a certeza que estamos felizes e que chegamos onde nós queríamos ter chegado: ao nosso futuro.
Vou ficando por aqui.
Mas eu voltarei. Eu sempre volto.

1 comentários:

Diego Serra disse...

Bem típico da idade e dos hormônios! Essa fase é complicada pra todo mundo, com calma e fé a gente passa por tudo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...