quarta-feira, 31 de março de 2010

Nostalgia - Parte II

Querida, Mariana...
Estou escrevendo pois estive pensando em você nestes últimos dias, amiga. Sabe, a saudade bate forte aqui dentro do meu peito, desde que nos distanciamos. É difícil aceitar o fim de uma amizade. Mesmo que seja cruel e torturante, é a verdade; a distância interferiu em nossos longos (quase) 2 anos juntas, contudo, foi maravilhosamente bom enquanto durou - em pensar que não nos vemos há 3 anos!
Lembro-me perfeitamente das risadas e dos trabalhos na escola: sempre juntas! Pego-me ouvindo músicas que logo me recordo de ti. Lembra? Nós ouvíamos Dance Music e líamos as revistas da Capricho, nas aulas vagas; lembra que a primeira edição da revista que você assinou tinha como capa uma foto do Johnny Deep e que nós ficamos completamente loucas? Muita gente achava-o sem graça, mas nós sabíamos perfeitamente o porquê de tanta admiração em comum: ele era um fofo!
Claro que lembrar da Mariana sem falar do piloto de Corrida de F1, Fernando Alonso, seria uma grosseria! Nunca vi uma garota de 15 anos ser tão fã de um piloto, hehe. Mas você era - e muito!
Sem contar os segredos que contávamos uma para a outra e que assim permanecem guardados até hoje, mesmo com esta distância que nos separa. Confesso: sinto falta de tudo isso. Sinto falta das conversas, das risadas, das revistas, das músicas (que não têm mais tanta graça, como antes) e de como o nosso plano de estudar juntas no ensino médio, foi derrotado por minha ignorância, pois eu não passei na prova para entrar no colégio ETEVAV.
Falta de força de vontade. Eu não deveria ter sido tão fútil e flexível quanto à idéia de me separar das minhas outras amigas (o que acabou acontecendo). Quem sabe se eu tivesse passado nesta prova, hoje eu estaria perto de ti? Mas, sabe, não adianta chorar agora. Já passou. Tenho que aprender a fazer as coisas no meu tempo certo, para não me arrepender depois. Lembra quando eu te disse uma vez: “Não me arrependo de nada que eu tenha feito, só me arrependo do que não fiz”? Pois é, isso ainda é verdade; só me arrependo de duas coisas na minha vida: não ter passado nesta prova e... bem, o outro arrependimento você já sabe, mas eu já concertei isso e, hoje, sou feliz ao lado dele.
Infelizmente, eu perdi seu telefone e você o meu. Consequentemente, perdemos contato. Quando você entrar no MSN, manda um “Oizinho” para mim?, sempre que eu entro você não está online... Ou será que você não quer falar comigo? Eu espero que não, pois estou com saudades!

Beijos de sua eterna amiga, Mayara.

PS: Eu ainda guardo o colar que você me deu de presente no meu aniversário de 15 anos. O pingente de maçã brilhante e a nossa cara!

(Observações: Não, Mariana não é minha altér-ego; é uma amiga da escola. E esta carta jamais será entregue.)

terça-feira, 23 de março de 2010

Dúvidas sobre o seu futuro profissional?

Como vocês já sabem, este é meu último ano na escola e estou me preparando para a faculdade. E, como fazem parte da vida, as dúvidas sempre aparecem. Eu já tenho certeza da profissão que terei, cursarei jornalismo ano que vem; todavia, muitos estudantes ainda têm dúvidas.
Buscando mais informações sobre o assunto, encontrei (na internet) testes que facilitaram para eu ter certeza de que o curso que escolhi, é o certo para mim. Então, aí vão algumas dicas:

* Você ainda não sabe quais são as áreas pelas quais você se interessa? Faça um teste para descobrir seus interesses.

* Se você sabe quais são os seus interesses, mas não sabe em qual curso você se encaixa, faça um teste vocacional.

* Agora se você, assim como eu, quer cursar jornalismo, faça o teste para saber se jornalismo é mesmo sua praia.

Espero que sirva de ajuda!
Então, o que vocês acharam?

domingo, 21 de março de 2010

Educação que não sabe educar!

Ok, confesso que o título está um pouco sem nexo (e totalmente revoltado!), mas vamos direto ao assunto, porque estou muiiiiito inspirada e empolgada para começar...
Estou furiosa! Que história é essa de greve?! Agora os professores (sindicalizados) de escolas públicas do Estado de São Paulo entraram em greve, por circunstâncias implicadas à falta de reajuste salarial e pelo governo desprezar e ignorar o rendimento escolar dos alunos de rede pública. Mas no fim das contas, quem arca com as consequências somos nós alunos, pois estamos sem aula!
Estou no último ano do Ensino Médio, me preparando para a faculdade no ano que vem (e para a realização das provas do Enem e Prouni), mas como vou estar preparada para tudo isso se nem aula estou tendo?! Estou muito nervosa e perturbada com isso tudo.
Há boatos que essas aulas serão repostas aos sábados ou nas férias de julho, - não sei ao certo o valor destas afirmações, pois duvido muito que, em ano de eleição para presidência, o governador José Serra abrirá mão das férias, isso causaria um rebuliço e acabaria com a sua candidatura.
O que eu quero com tudo isso é simplesmente me manifestar, dizendo que: ESTA GREVE É UM GRANDE PROBLEMA PARA OS ALUNOS! Qual é? Após uma semana sem aula e outra com aulas parciais, não ouve mudanças; por que então, com mais uma semana de greve, haveria de mudar alguma coisa? O desfecho desta história será de pura decepção, o mandato do Serra será interrompido logo para que ele possa se candidatar à Presidente da República e, consequentemente, nenhuma atitude será tomada quanto a isso.
Espero que essa greve acabe logo, porque eu quero estudar! E espero que o objetivo da greve seja atingido.
Queremos justiça, queremos educação. Queremos um futuro melhor!
Da sua querida blogueira e futura jornalista.

terça-feira, 2 de março de 2010

Doce sacrifício

É difícil explicar o que estou sentindo quando nem eu mesma sei a resposta para isto. Estranho? Sim. Difícil? Mais do que você pode imaginar.
Chega uma hora na vida, em que é preciso um “beliscão” para perceber que você já cresceu; é a hora em que você tem certeza absoluta de que não é mais criança porém, ainda não é adulto. Queria dar um grito e dizer “Basta!”, mas de que adiantaria? O tempo não vai parar e me dar uma resposta do que eu tenho que fazer.
Eu ainda não sei quem eu sou ou quem eu serei, a única certeza é que serei jornalista e estarei com o meu amor. O resto, eu não sei. As dúvidas fazem parte do crescimento e isso é assustador, mesmo que às vezes pareça simples - o que, com certeza, não é.
Muitas vezes, ouço pessoas dizendo que estou na melhor fase da minha vida, estou? hehe. Parece que sim. Então porque eu sinto que o que está por vir (o futuro) pode ser melhor do o que eu tenho agora (o presente) ? Isso é tão estranho e fácil de entender. Afinal, isso é uma característica do ser humano: nunca se contenta com o que tem. É sempre assim, nos preocupamos tanto em encontrar a felicidade que nem percebemos que ela pode estar ao nosso lado o tempo todo. Queremos sempre aquilo que não temos e não nos contentamos com o que temos.
Algumas vezes, ser jovem incomoda, daí o “quero-crescer-logo” e em seguida vem o medo, pois as responsabilidades aumentarão. Mas a hora é essa, porque já está acontecendo. O medo e a indecisão são um preço justo que se paga por este doce sacrifício. O jeito é aproveitar sem medo e preparar o futuro - e estar preparada para ele.
Mas, como eu disse muitas vezes, o que realmente importa é o presente; o momento que estamos vivendo agora. O passado não volta e não sabemos quando é o futuro. Aliás, o futuro é quando nós conseguimos concretizar os nossos sonhos e objetivos, quando conseguimos dizer "Pronto, consegui!". Aí sim, teremos a certeza que estamos felizes e que chegamos onde nós queríamos ter chegado: ao nosso futuro.
Vou ficando por aqui.
Mas eu voltarei. Eu sempre volto.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...