quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Nostalgia - Parte I

Nostalgia: Descreve uma sensação de saudade de um tempo vivido, frequentemente idealizado e irreal; é um sentimento que surge a partir da sensação de não poder mais reviver momentos da vida.
Desde quando as coisas começaram a ficar desse jeito? Ou será que sempre foram assim e eu ainda não tinha percebido? Que estranho. Acho que o tempo está passando cada vez mais rápido e que (talvez) eu não esteja fazendo tudo o que eu queria ter feito. As coisas boas ficaram no passado e isso me deixa nostálgica, o que acaba me entristecendo. Isso me fez perceber que:


Primeiro: Não devemos viver baseados no passado, muito menos no futuro, simplesmente devemos fazer as coisas no presente, viver um dia de cada vez como se fosse o último. O que ficou para trás não volta mais e o futuro não é certo pois, quem sabe se chegaremos até ele? O presente não, é o agora, é o que estamos vivenciando a cada novo dia.
Acordar de mal humor não é clichê de ter um dia ruim. Muito pelo contrário, isso é um sinal para lhe mostrar que mesmo nas piores situações, ainda há esperança de que um novo dia virá com novas surpresas. Lembra do nosso lema? "A vida é o que você faz dela".
Porém, como dizer à vida que você está disposto a viver se ela não dá trégua? Talvez as mudanças nem sempre deixam-nos satisfeitos, mas elas sempre acontecem. Fazer o quê? É a vida!


Segundo: Nem sempre para tudo na vida existe uma resposta e que é melhor deixar assim. Se não há uma resposta concreta para estas questões, é sinal que nós não devemos saber, devemos aprender com isso. E aprender é uma outra relíquia da vida, acho que uma das mais importantes.
Eu sei que a nostalgia faz-nos voltar ao passado por um breve instante porém, ela dá-nos forças para prosseguirmos a diante e fazer escolhas melhores. Mesmo porque, o passado estará para sempre no meu coração. Foi o melhor que tive até hoje.

Beijos, beijos!

3 comentários:

LETÍCIA CASTRO disse...

Nossa, Mayara, que texto maduro e lúcido! Adoro visitar blogs que não conhecia (e peço muitas desculpas pela demora) e encontrar uma escrita tão coerente e consistente como esta. Vc já é uma jornalista, não duvide. E, sim, começou pelo jeito certo. Um blog é um excelente laboratório para a nossa profissão e, às vezes, se torna a própria, como eu mesma que atualmente trabalho como jornalista problogger. Enfim, agora é só fazer a faculdade. :D

Adorei seu comentário no Babel e tenho o feeling de ter acabado de conhecer mais uma "comadre". É assim que eu chamo minhas amigas blogueiras preferidas e a gente costuma ter uma troca muito verdadeira e legal mesmo na internet.

Vou dar mais uma fuçada aqui no seu blog e conte comigo para o que precisar. Talento precisa ser apoiado.

Beijos!

LETÍCIA CASTRO disse...

Eu sou tão distraída que me dá vontade de me dar uns tapas de vez em quando...

Antes de mais nada, ia te sugerir frequentar tb o blog do meu "irmão" Wander, somos unha e carne, mas vc, muito inteligente, já o conhece! Que bom! rs

Agora, inspiração? Meu Deus do céu! Eu estava precisando muito disso, não espero estar à altura, muita responsabilidade. hehehe Mas, humildemente agradeço, emocionada, e reitero: conte comigo, tá bom?

Faz um bannerzinho pra eu te colocar do lado do Café no Babel e me avisa, ok?

Beijocas, comadre!

Mayara Caparroz disse...

Olá, Letícia!

Fiquei muitíssimo feliz por receber sua visita aqui na Terra de Ninguém e também muito grata pelos comentários e elogios.
Para mim é de grande valor e estimulo ter alguém como você, uma jornalista tão consagrada, como seguidora do meu blog. Obrigada!
E obrigada novamente por toda essa consideração e apoio, comadre! E saiba que o Babel.com é, com toda a certeza, minha fonte de inspiração.

Beijos, comadre :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...